"Cidade Hundertwasser" Escola de Feldmeilen - 2019

 

Durante o ano letivo de 2018/2019 a turma de segunda série do professor Herr Walser da Escola de Feldmeilen trabalhou com a obra do pintor e arquiteto Hundertwasser. Ao longo do primeiro semestre os alunos foram apresentados aos conceitos do artista, às suas pinturas e aos seus projetos de arquitetura. Para finalizar este processo, o professor me convidou para realizar um workshop de dois dias com as crianças, que contou também com o apoio da pedagoga auxiliar e da professora de trabalhos manuais. Como introdução, conversamos sobre o significado da arquitetura para Hundertwasser, e sua vontade de despertar os sonhos e o espirito lúdico dos habitantes da cidade. Cada grupo deveria escolher um tipo de edifício que gostaria de construir, para ao fim compormos uma "cidade Hundertwasser". As crianças trabalharam com diversos tipos de materiais, dentre eles: tecidos, fitas, recicláveis e elementos da natureza (galhos, pedras, flores e folhas) que coletamos na escola. 

Foi muito lindo de ver a motivação das crianças ao criarem seus espaços. Todos trabalharam com  autonomia, entusiasmo e criatividade durante os dois dias de workshop, e chegaram até mesmo a ir uma tarde extra na escola para concluírem os projetos a tempo! uma exposição da "cidade" será realizada ao fim do ano letivo para os pais das crianças. 

"Nós transformamos nosso Jardim da Infância !" Feldmeilen - 2016

A Escola de Feldmeilen está em obras desde 2015, o que demandou um remanejamento de diversas classes para pavilhões provisórios instalados na área da escola. A professora de jardim da infância Vera Trippel definiu o canteiro de obras como um dos temas em sua turma de 2015. Aproveitando esta oportunidade, eu e meu marido Richard Zemp, também arquiteto, fizemos à professora a proposta de desenvolver um pequeno projeto com as crianças, tendo em vista refletirem e desenvolverem ideias para um Jardim da Infância ideal. Para isso, levamos fotos de canteiros de obras, conversamos com as crianças sobre as etapas do projeto arquitetônico e sobre o trabalho no canteiro, e levamos uma grande maquete do pavilhão no qual as crianças estudavam, vazia. Levamos também escalas humanas de todas as crianças, para que elas pudessem brincar com a maquete e se imaginar habitando este espaço. A ideia era que as crianças criassem um novo Jardim da Infância que correspondesse às suas fantasias e desejos. As crianças trabalharam entusiasmadas durante dois dias. Contamos com o apoio da professora Vera Trippel e de sua equipe educacional. Na festa de conclusão do ano letivo  foi feita uma exposição da maquete com os espaços internos e os espaços livres do Jardim da Infância para os pais das crianças.

1/13

 Projeto "Espaço do Brincar: construindo coletivamente um Brinquedo-Espaço" Cajamar, Brasil - 2006-2008

 

Este projeto transdisciplinar, com apoio e financiamento do Fundo de Cultura e Extensão da USP, foi realizado por iniciativa própria de estudantes de graduação e mestrado de diferentes áreas do conhecimento: arquitetura, pedagogia e terapia ocupacional. O projeto, orientado pelos docentes Catharina Lima e Eugenio Queiroga (FAUUSP) e Maria Isabel Garcez Ghirardi (TO-USP) surgiu após um semestre da disciplina de graduação "Paisagismo: Sistema de Espaços Livres" da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo FAUUSP, na qual atuei como assistente do Programa de Aperfeiçoamento do Ensino (PAE). O projeto foi realizado em parceria com o assentamento Dom Pedro Casaldáliga, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Cajamar - SP. O grupo de estudantes buscou trabalhar com as crianças na recriação de seus espaços lúdicos e de vida, buscando resgatar na natureza local e nas brincadeiras cotidianas fontes de inspiração para a construção de estruturas lúdicas. Buscamos trabalhar com a ideia de autonomia infantil, e valorizar as singularidades e os vínculos afetivos construídos entre nós, as crianças e o os adolescentes e adultos do Setor de Educação e Cultura do assentamento, nossos principais parceiros.

 

Deste projeto originaram-se diversos trabalhos posteriores, entre os quais: o trabalho de graduação da terapeuta ocupacional Juliana Araújo Silva, o trabalho de graduação da arquiteta Helena Rios  e o Relatório do projeto para o Fundo de Cultura e Extensão da USP e meu trabalho de mestrado, que por sua vez que deu origem ao livro                                               .

Autoras: Andréa Zemp Santana do Nascimento (na época mestranda em arquitetura), Adriana Ferreira Sousa, Amanda de Almeida Sales de Oliveira, Brunna Laboissiere Ferreira, Helena Galrão Rios, Vanessa Prado Barroso (graduandas em arquitetura), Renata Castro (graduanda em pedagogia), Juliana Araújo Silva e Juliana Silva Bespalec (graduandas em terapia ocupacional)